Notícias

O papel do profissional de RH para manter grandes talentos nas empresas


Em um contexto de crescimento econômico que gera enormes perspectivas para o futuro, as empresas começam a entender que, mais importante do que ter bons profissionais é cuidar desses, e, principalmente, mantê-los para que seus empreendimentos se tornem cada vez mais competitivos no mercado.

“O capital intelectual é cada vez mais valorizado nas corporações, sejam micro, pequenas ou grandes. Sendo o ‘profissional chave’ para conseguir este sucesso, o Analista em Recursos Humanos, hoje mais conhecido como Gestor de Pessoas”, diz o especialista em RH Marcus Seixas, continuando: “A responsabilidade do Gestor de Pessoas é de uma grandeza imensurável dentro das empresas. Ele é o responsável pelo bem estar dos colaboradores no ambiente de trabalho. A começar quando realiza um processo seletivo, no qual ele deve ter muito bem definido o perfil do candidato para que o mesmo esteja em consonância com a visão e a missão das corporações. Além disso, ele é o responsável por gerenciar um RH estratégico”.

Marcus explica que o RH estratégico hoje é peça fundamental para qualquer empresa que queira obter sucesso em um mercado cada vez mais globalizado e competitivo. “As empresas que investem neste tipo de departamento obtêm um diferencial perante aquelas que ainda acreditam que o Recursos Humanos é apenas um local onde o colaborador irá queixar-se, ou utilizam esse departamento como um braço do famoso departamento de pessoal”, diz.

“Quando as empresas aliam as habilidades do profissional de RH com a estratégia de manter, desenvolver e principalmente cuidar das pessoas, elas passam a ser admiradas pelos funcionários, despertam a admiração da comunidade externa, e tornam-se cobiçadas por profissionais desejosos de trabalhar nelas”, continua o especialista, afirmando que isso não será possível sem a figura do Gestor de Recursos Humanos, que deve, em primeiro lugar, vivenciar as conquistas das pessoas.

Um gestor de RH deve acreditar que seu papel é de suma importância para que os índices de rotatividade, por exemplo, sejam os menores possíveis, pois seu departamento deve contribuir para a lucratividade das empresas. “A busca constante por melhorias para colaboradores, a formatação de um plano de carreira, a construção de uma cesta de benefícios, o desenvolvimento contínuo do profissional e, principalmente, a construção de uma identidade conjunta funcionário/empresa irá fazer com que o trabalhador acredite fazer parte da instituição e que esta lhe reconhece como peça fundamental do processo”, explica.

Para Marcus isso é importante em um contexto no qual falta mão de obra especializada e o mais importante hoje é conseguir manter os talentos e não perder o capital intelectual para o concorrente.

“Em uma empresa onde nos sentimos em casa isso irá pesar muito numa possível troca. Aí mais uma vez o profissional de Recursos Humanos tem a sua importância colocada em prova, pois é por meio do sucesso de seu departamento que será possível construir no colaborador este sentimento de lealdade e de bem estar”, conclui o especialista.

 

FONTE: Você S/A