Notícias

Pequenos negócios comandam geração de empregos em maio

As micro e pequenas empresas foram as responsáveis pela totalidade de contratações do mês de maio deste ano. Enquanto as médias e grandes reduziram seu efetivo em pouco mais de 11 mil pessoas, os pequenos negócios geraram 80.277 vagas de emprego, o que representa crescimento de 28% em relação ao mesmo período do ano passado.

A maioria das vagas criadas em maio foi na região Sudeste, que teve 48.863 novas ofertas, seguida pelo Nordeste, com quase 13 mil novas contratações. “A proximidade da Copa das Confederações pode ter impulsionado as contratações nessas regiões. Tanto Belo Horizonte como Rio de Janeiro, Fortaleza, Salvador e Recife receberam três jogos durante essas duas semanas de competição”, afirma o presidente do Sebrae, Luiz Barretto.

Os novos postos de trabalho foram criados por pequenos negócios de diferentes setores da economia. Como no resultado do mês de abril, o setor de Serviços foi o principal responsável pela geração de empregos com quase 35 mil vagas, que representou 43% do total de vagas criadas por essas empresas.

As atividades de comercialização e administração de imóveis, de transportes e comunicações e de alojamento e alimentação geraram juntas 27,5 mil novas vagas. “Os pequenos negócios vão continuar comandando a geração de empregos nos próximos meses e acreditamos que o setor de Serviços continuará a liderar esse bom desempenho das micro e pequenas empresas”, destaca Barretto.

O setor de Agropecuária retomou fôlego e foi o segundo responsável pelas contratações do período, com a geração de quase 21 mil novos empregos. O bom desempenho das culturas do café, da cana-de-açúcar e da laranja, no Sudeste do Brasil, impulsionou essa forte recuperação do setor. Até o momento, maio foi o período que apresentou o melhor resultado do ano na atividade rural. A Construção Civil ficou em terceiro lugar no ranking setorial, com 13.491 novas vagas.

O estudo do Sebrae é promovido mensalmente com base em dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego.



Fonte: Sebrae