Notícias

6 dicas para transformar um hobby em uma ideia de negócio


Você tem um negócio ou um hobby? Mas existe diferença? Sim, muita diferença. Na verdade, este pode ser um grande problema para o empreendedor: não enxergar que aquele produto ou serviço virou um negócio e não saber precificá-lo.

Isso é muito comum acontecer entre os artesãos, por exemplo. O comerciante tem uma aptidão e começa a produzir peças. Divulga o produto de forma informal aos conhecidos, cria uma rede de possíveis clientes e não consegue dar o próximo passo: fazer um plano de negócio estruturado e com visão de futuro. Concluindo: hobby você gasta dinheiro e negócio você ganha dinheiro. Ou seja, o negócio está focado na lucratividade que a atividade traz.

Na nossa cultura, de forma errônea, o trabalho é colocado como algo que produz sofrimento e luta. Portanto, se você faz algo com prazer, não deve ser renumerado, pois o trabalho não pode ser uma atividade prazerosa. É óbvio que este é um pensamento retrógrado. Podemos ser renumerados por fazer aquilo que temos prazer, inclusive essa é uma das principais regras para empreender: o segredo do sucesso está na paixão que colocamos no nosso negócio.

Um bom exemplo de pioneirismo e visão de oportunidade nesse segmento é o casal Juliano e Mônica Ipolito, que fundou a startup Elo 7, em 2008, em Campinas. A empresa mantém um canal online para compra e venda de artesanato. Na verdade, eles enxergaram que o setor trabalhava de forma desorganizada e viram a oportunidade de criar uma rede social organizada para o setor.

Até o início de 2011, o site de comércio eletrônico tinha como força de trabalho somente os dois sócios. Em três anos, Juliano e Mônica construíram uma comunidade virtual que oferece mais de 1,5 milhão de produtos feitos por cerca de 65 mil artesãos de todo o país.

A lição maior que fica é que você precisa entender se quer empreender ou somente ter uma ocupação de que goste. Caso opte por empreender naquilo que gosta, veja alguns valiosos conselhos:

1. É muito comum que o empreendedor comece de forma informal e possua uma outra atividade profissional. Para isso, você deve fazer um planejamento a médio e longo prazo visando equilibrar suas finanças para que um dia você consiga transformar o hobby em renda principal.

2. Defina objetivos claros para daqui a três, cinco e dez anos.

3. Trace estratégias para divulgação de seus produtos. Loja virtual, redes sociais, e-mail, feiras, entre outros.

4. Se o seu empreendimento demanda que você trabalhe de casa, é preciso muita disciplina para não desfocar do negócio no dia a dia.

5. Defina quais custos mensais são necessários para manter o seu negócio em pé.

6. Você se mantém atualizado? Leia, estude e faça cursos.

Camila Farani é CEO do Grupo Boxx, focado em alimentação, e co-fundadora do Mulheres Investidoras Anjo.

 

FONTE: EXAME